Logo One2030

É PRECISO AMOR PARA CONSCIENTIZAR

Escrito por: EBVB

Cynthia Alario one2030

Foto: Facebook CineSolar

Representado pela fundadora da Brazucah Produções, Cynthia Alario, o CineSolar, marcou presença durante a Segunda Jornada do Projeto ONE2030, que abordou a ODS 6 – Água Potável e Saneamento, no último dia 26 de setembro, no CRC de São Paulo

Deixando clara a mensagem de que escassez hídrica é sinônimo de impacto negativo, não apenas ambiental mas sobretudo humano, Cynthia, contou algumas das jornadas da van que percorre o país movida à energia solar, levando informação e dando voz às comunidades do Brasil à fora.

No norte, o público conheceu o caso do menino que nunca sorria e que tinha um passado de abuso sexual, causado pelo pai que, por não poder mais pescar, virou alcoólatra. No sertão do nordeste, Cynthia não sabia explicar se, ao serem questionadas sobre a seca, as pessoas riam de desespero ou por total falta de noção da gravidade do problema.

Com base na missão de levar conhecimento sobre sustentabilidade e arte, difundindo os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), o CineSolar pontuou a necessidade de uma relação de afetividade entre todas as pessoas e a Natureza.

No ONE2030, o CineSolar mostrou a importância desta parceria realizada pelo projeto da Rede Brazucah com a população para se atingir as metas estabelecidas pela ONU, dentre elas a de que água é um bem universal e um direito de todos.

“Será que existem tecnologias e vontade política para sanar estes problemas?”, questionou Cynthia.

“De qualquer forma, uma ação interage com outra e acarreta uma série de outras ações, elas estão atreladas. Fazemos com que as pessoas descubram como podem se mobilizar para modificar sua realidade local e que entendam que o mau uso hídrico causa estes impactos que podem ser observados não apenas por projetos como o do CineSolar, mas também por toda a sociedade civil.

O conceito de que as coisas estão atreladas entre si, nos remete a um dos conceitos base da sustentabilidade: a Permacultura, cuja visão aborda o ser humano como parte integrante de um sistema e, portanto, em uma relação de amor e não de dever com o meio ambiente.

Qual maior forma de engajamento que o amor, que move tanto?!”, concluiu Cynthia.